Skip to content

Estudantes que usam Innovamat demonstram resultados até 11 % superiores nas provas de competência matemática

Os estudantes que fazem matemática com Innovamat demonstram um rendimento até 11% superior em provas padronizadas de competência matemática. Isso é o que revela o Estudo de Cadernos de Avaliação Longitudinal, (EQUAL, na sigla em catalão), promovido pelo Grupo Pirâmide, nosso grupo de investigação em didática da matemática, que conta com acordos de colaboração com a Universidade Autônoma de Barcelona (UAB), a Universidade Rovira i Virgili (URV), a Universidade de Barcelona (UB) e o D’EP Institut.

Desde o início, desenvolvemos toda a nossa proposta curricular com base nas pesquisas de instituições educativas de prestígio, como a Universidade de Utrecht, a Universidade de Cambridge, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) e o Conselho Nacional de Professores de Matemática dos Estados Unidos (NCTM, na sigla em inglês). Além disso, contamos com uma equipe de pesquisadores para avaliar nosso projeto educativo. Neste sentido, a validação de propostas educativas por meio de testes padronizados é essencial para garantir que as formas de ensinar e aprender são eficazes e beneficiam os estudantes. Por isso, a equipe Innovamat quis analisar os resultados obtidos pelos estudantes do sexto ano do ensino fundamental nas provas de competências básicas criadas pelo Departamento de Educação do Governo da Catalunha, na Espanha. Essas provas são um indicador do nível de aquisição de competências dos estudantes ao finalizar os anos iniciais da educação fundamental catalã, e queríamos analisar se os resultados melhoravam com o uso da proposta Innovamat.

Os resultados do estudo, que podem ser consultados em detalhes mais adiante, revelam que os estudantes que aprendem com Innovamat demonstram um rendimento 6% a 11 % superior em todos os blocos de conteúdo (denominados Unidades Temáticas na BNCC) avaliados nas provas: Numeração e cálculo (Números, na nomenclatura da BNCC), Espaço, medição e representação gráfica (uma combinação de Geometria, Grandezas e medidas e Probabilidade e estatística, na nomenclatura da BNCC) e Relações e trocas (Álgebra, na nomenclatura da BNCC). Esses resultados demonstram que nossa proposta, fundamentada em uma abordagem prática e participativa das competências matemáticas, é eficaz para melhorar o rendimento em matemática, sem sacrificar nenhum conteúdo.

EQUAL

O estudo EQUAL tem como objetivo analisar os resultados das provas de competências básicas do sexto ano do ensino fundamental, criadas pelo Departamento de Educação do Governo da Catalunha, para determinar as variáveis que influem na avaliação de competências e na aquisição de conteúdos.

Para realizá-lo, analisamos os resultados das provas de competências básicas dos estudantes do sexto ano do ensino fundamental catalão, comparando os que fazem matemática com a proposta Innovamat e os que não. Foram analisados os resultados de cerca de 1 000 estudantes de 20 escolas, e a amostra foi dividida em dois grupos: 10 escolas que usam a proposta Innovamat no sexto ano do ensino fundamental e dez que não o fazem.

No seguinte gráfico e na tabela que o acompanha, podemos ver que os estudantes que aprendem com Innovamat demonstram um rendimento 6 a 11% superior em todos os blocos de conteúdo das provas de competências básicas Numeração e cálculo, Relações e trocas e Espaço, medição e representação gráfica. Essas diferenças são significativas no caso de Numeração e cálculo, e as magnitudes das diferenças (tamanho de efeito) são moderadas. Vamos dar uma olhada nos dados e depois analisá-los.

 

Análise técnica dos dados

Fizemos um teste de hipótese U de Mann-Whitney bilateral, com erro do tipo I a 5 %. Os valores-p da tabela indicam as probabilidades de que a diferença observada segundo nossos dados seja obra do acaso. Como esse valor é menor que 0,05 (erro tipo I) em “Numeração e cálculo”, podemos aceitar a hipótese de que as diferenças observadas não são obra do azar. Também vemos uma forte tendência na melhoria dos resultados dos estudantes que fazem Innovamat nos blocos de “Espaço, medição e representação gráfica” e “Relações e trocas”. O tamanho de efeito mede a magnitude da diferença e foi calculado por meio do d de Cohen: considera-se que um valor superior a 0,5 corresponda a um tamanho de efeito moderado. Em resumo, com o valor-p, vemos se as diferenças podem ser fruto do acaso, e com o tamanho de efeito, vemos o tamanho dessas diferenças.

Os resultados das provas são divididos em três blocos de conteúdo: “Numeração e cálculo”, “Espaço, medição e representação gráfica” e “Relações e trocas”. Usamos a média de acertos dos estudantes em cada item da prova como pontuação, e ponderamos de acordo com a complexidade de gestão da escola. Para fazer essa correção, usamos os resultados sobre a média de acertos para cada complexidade e para toda a Comunidade Autônoma de Catalunha, que foram proporcionados pelo Departamento de Educação. Os resultados do estudo evidenciam que o uso da proposta curricular Innovamat contribui para um rendimento superior em matemática, quando esse rendimento é medido por meio deste teste padronizado para a Catalunha. Isso reforça a nossa visão: trabalhar a matemática por meio das competências, utilizando vários materiais manipulativos e conversas entre iguais e dando importância a destrezas como a capacidade de argumentar e resolver problemas, sem sacrificar nenhum conteúdo, não só aumenta a motivação de docentes e estudantes em geral, como mostram nossas pesquisas anuais, como também gera uma melhoria significativa no rendimento em testes padronizados como este.

A pesquisa na Innovamat

Desde o início, a proposta Innovamat se baseia na pesquisa acadêmica sobre a didática da matemática. Para desenvolver nossa proposta curricular, nos nutrimos de fontes de prestígio como o Institut Freudenthal, da Universidade de Utrecht; o Projeto NRICH, da Universidade de Cambridge; o Programa PISA, da OCDE, e o Conselho Nacional de Professores de Matemática dos Estados Unidos (NCTM).

Também contamos com uma equipe interna de pesquisadores, formada por especialistas e referenciais que se encarregam de realizar análises e estudos para avaliar a eficácia de nossa proposta educativa e dos recursos que oferecemos. Mas isso não é tudo. Contamos com o apoio das escolas Vèrtex, centros educativos com grande rigor científico que participam de projetos e estudos do Grupo Pirâmide, independentemente de usarem Innovamat ou não, e têm acesso aos resultados e conclusões personalizadas sobre seus estudantes. O objetivo é compartilhar descobertas por meio de publicações científicas e continuar adquirindo conhecimento sobre a didática e o aprendizado da matemática.

Entrades recents

Subscriu-te al butlletí

Rep totes les nostres novetats i continguts exclusivament al teu correu.